Reinventar os negócios pode ser a solução para sobrevivência em meio à pandemia

Por em
Reinventar os negócios pode ser a solução para sobrevivência em meio à pandemia

Em meio a este cenário de crise global, empresários viram-se obrigados a se reinventarem a fim da sobrevivência de seus negócios.

Várias alternativas já vêm sendo adotadas, que vão desde mudanças de produtos comercializados até mesmo à venda de bônus a serem usados quando voltarem os serviços.

Em um cenário de crise oriunda da expansão da COVID-19, é necessário mudanças dos padrões tradicionais arraigados durante décadas.

Caso contrário, torna-se difícil a sobrevivência de quaisquer negócios.

O restaurante Bia Hoi, localizado em São Paulo, viu sua clientela diminuir acirradamente já no início da pandemia. Em um primeiro momento, tentaram migrar para delivery (preço da comida é alto) e não deu certo. Por isso, adotaram um sistema de voucher em que os clientes compram, ajudam o restaurante e quando voltarem as atividades poderá gastá-lo.

Nessa mesma perspectiva, Heloísa Morgado, proprietária de uma franquia do Sterna Café, teve que mudar seu produto principal. Assim, largou o café de lado e migrou para pacotes de refeições: “Geralmente, as pessoas que estão trabalhando em casa não têm muito tempo de sobra para cozinhar e são esses clientes que procuro”.

De tal modo, diversos negócios têm saído de suas zonas de conforto e prezado pela adoção de medidas que facilitem a vida dos consumidores e até mesmo dos seus empregados. Acabam perdendo força neste novo cenário:

  • Inflexibilidade de horários;
  • Falta de inovação;
  • Deslocamentos desnecessários;
  • Processos burocráticos etc.

Por outro lado, os consumidores acabam se beneficiando com essa reinvenção, pois agora podem contar com:

  • Compras exclusivamente online;
  • Serviços de entregas;
  • Showroom virtual;
  • Atendimento em domicílio, entre outros.

Érica Ribeiro de Souza, Relações Públicas na Agência Clave, contou que precisou comprar produtos infantis e entrou em contato com uma loja:

“Os produtos são ótimos, o atendimento é rápido e são eles mesmos que entregam. Comprei hoje de manhã e vieram entregar na minha casa a tarde. O mais legal é que descobri a loja através do boca a boca. Os gerentes da loja passam o contato de um dos vendedores e este realiza a venda, manda fotos, tira dúvidas…”.

Ainda segundo Érica: “O meu bairro entra na marcação dos Correios que diz ser de risco. Por isso, o prazo de entrega sempre é excedido e a central dos correios que faz as entregas tem muita reclamação”.

Com isso, torna-se evidente que a crise já tem mudado a forma como se trabalhava por durante décadas. Além de estimular que os empresários pensem sempre em formas de inovar e continuar com seus negócios no futuro.

Ademais, percebe-se a importância, mais do que nunca, da era digital, que tem sido fundamental neste momento. Quando isso passar, espera-se que as pessoas que já tenham incorporado o uso da tecnologia para resolução de diversas demandas e, assim, deixarão de lado tarefas desnecessárias.

Pode-se dizer que o mundo vivencia uma revolução que prima por novas formas de negócios e de execução de necessidades. E ao fim e ao cabo dessa mudança radical forçada, as empresas estarão preparadas para uma nova forma e necessidade de trabalho.

Por que inovar na crise?

Primeiro, quando se pensa em inovação deve-se desprender da ideia de que inovar relaciona-se unicamente à criação de algo novo. É necessário ir além: inovar abrange ideias novas, mas, sobretudo, melhorar algo que já existe, seja através do desenvolvimento de novas práticas de negócios, produtos e serviços.

Ademais, erros farão parte deste novo caminho. Até surgir os primeiros acertos, muitas vezes, é preciso errar. Afinal, com os erros as pessoas tornam-se mais maduras e susceptíveis a acertos.

Algumas formas de buscar inovação:

  • Faça dos problemas novas oportunidades;
  • Analise o problema e crie solução;
  • Entenda as necessidades as pessoas;
  • Crie novos conceitos e novas formas de aplicação.

Em um cenário de crise não é diferente, os negócios terão como binômio de sobrevivência: adaptação e a flexibilização. Por isso, para lidar com as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, se quiserem sobreviver, terão que ser CRIATIVOS!

É preciso quebrar os paradigmas perpetrados por décadas e sair da zona de conforto. Por exemplo, se atuava em uma loja física e agora está impedido, abrace a era digital e preze pelo comércio virtual.

Restaurantes também que foram um dos principais afetados pelas medidas restritivas, agora, terão que mudar sua forma de comercialização ou quiçá mudar até mesmo o produto comercializado. É preciso reformular todo o cardápio, uma vez que coisas supérfluas são as primeiras a serem evitadas em momentos de crise.

Além disso, se o empresário dispõe de um varejo sem atenção ao comércio virtual, agora é o momento de migrar para um comércio eletrônico. Se for personal trainer, por que não dar aulas online? Esses são apenas alguns exemplos de maneiras de inovar em tempos de crise.

De outra maneira, agora, é um ótimo momento, para o estreitamento das relações com os clientes. Aproveite que os clientes têm ficado mais tempo conectados e compartilhe conteúdos relevantes relacionados ao seu negócio.

No entanto, lembre que é necessária uma produção de conteúdo relevante e não voltado apenas para quantidade. Afinal, já existe muita coisa sendo feita e produzida neste momento, por isso, mais uma vez, é preciso inovar até mesmo na produção de ideias.

Em suma, é preciso refletir como se aproximar mais do cliente e contar com seu apoio. Para isso, pense em mecanismos que estimulem que seus próprios clientes a auxiliar e apoiar a continuidade do seu negócio.

Se for preciso, analise o que outras empresas têm feito para atrair seus clientes e tente aplicar essas ideias ao seu caso concreto. Contudo, é primordial que enxergue que cada caso é um caso e, portanto, é fundamental que se considere as particularidades de cada empreendimento.

Lembre-se: várias empresas estão enfrentando crise e ninguém está sozinho. Porém, são de grandes crises que podem surgir grandes negócios. Ora, não são todos que se atentam para novas necessidades.

Assim, atente-se para o mercado e para as novas exigências, identifique o problema e crie possíveis soluções. No fim das contas, através de boas soluções para possíveis problemas, costuma-se surgir grandes negócios!

Equipe Clave

Equipe Clave

Equipe de Redação da Agência Clave. A equipe de profissionais formados em comunicação da Agência Clave eventualmente estuda sobre o que fazem  e compartilham seus novos aprendizados, a fim de disseminar seus conhecimentos.

Comentários